21/8/2013 11h05 Por GAZETA PRESS

Dorival exalta efeitos de briga com Neymar em 2010: 'Faria igual'

Após negar uma cobrança de pênalti ao camisa 11, treinador entrou em atrito e acabou saindo do Peixe

Quase três anos após trocar xingamentos com Dorival Júnior em uma partida pelo Santos no Campeonato Brasileiro, Neymar entrará em campo para a primeira final com a camisa do Barcelona. O craque brasileiro terá pela frente o Atlético de Madri na Supercopa da Espanha na tarde desta quarta-feira e o ex-técnico santista relembrou a discussão de 2010 para exaltar o crescimento do atacante.

“Fico muito contente por vê-lo no Barcelona e já disputando uma final. Aquilo foi importante, proporcionou crescimento profissional para ambos. Faria igual hoje, não mudaria minha postura. Fico satisfeito pela atitude, porque a evolução que ele teve foi muito grande. Mas também sei que minha contribuição foi mínima, pois se trata de um jogador fora de série, de alto nível e que naturalmente alcançaria o momento que vive agora pelas qualidades que tem”, ressaltou o atual comandante do Vasco da Gama.

No dia 15 de setembro daquele ano, o Peixe venceu o Atlético-GO por 4 a 2 em partida eletrizante na Vila Belmiro, mas o último gol da equipe iniciou grandes problemas internos. Neymar pediu para cobrar o pênalti sofrido por Léo e passou a brigar pela bola. Quando Dorival ordenou do banco de reservas que o camisa 11 não batesse, os dois iniciaram atrito, que se estendeu até o final do jogo.

Confira mais: Repórter recebe bolada em jogo de pré-temporada da NFL

Vídeo de torcedor mostra novo ângulo de pênalti para o Corinthians

Quem deve ser o próximo adversário de Chael Sonnen?

Em 2013, Neymar acabou com qualquer desconfiança de que casos de indisciplina pudessem atrapalhar sua ascensão na carreira. Isso porque conquistou a Libertadores, comandou a conquista do tetracampeonato da Copa das Confederações com a Seleção Brasileira e foi negociado com o Barcelona por valores históricos no País: 57 milhões de euros (R$ 158 milhões).

Dorival Júnior teve vida curta na Vila após a discussão. Trocou o Peixe pelo Atlético-MG, passou por Internacional e Flamengo e desembarcou no Vasco para a disputa da Série A deste ano para fazer belo trabalho. Ganhou status entre os técnicos e é um dos pilares da recém-criada Federação Brasileira dos Treinadores de Futebol (FBTF), comprovando os efeitos positivos da briga de quase três anos atrás.