27/10/2013 13h07 Por GAZETA PRESS

Técnico do Barça não vibra com Neymar em clássico: 'Já jogou melhor'

Atacante brasileiro fez o único gol da partida e ainda deu uma assistência, mas não foi o suficiente para Gerard Martino

Um gol e uma assistência. Em seu primeiro clássico diante do Real Madrid desde que chegou ao futebol espanhol. Tais fatos seriam suficientes para qualquer jogador do Barcelona ser exaltado pelo seu treinador ao fim de uma importante vitória sobre o maior rival. Com Neymar, entretanto, não foi assim. Depois do 2 a 1 sobre os merengues, no último sábado, no Camp Nou, o comandante catalão, Gerardo Martino, não vibrou com a atuação do brasileiro.

Segundo o técnico argentino, o camisa 11 não fez a sua melhor partida desde que vestiu azul-grená pela primeira vez, há três meses. “Ele fez um grande jogo, mas já disputou partidas melhores. Seu gol no clássico teve muito mais significado. Porém, ele já fez partidas melhores”, disse Martino.

Leia também: Cansada de viajar, namorada de Alonso reclama da rotina do piloto

Atleta mais rico do mundo esbanja e dá lição de moral no Instagram

Sem contrato renovado, Massa arrisca-se no tênis

O gol e a assistência de Neymar em seu primeiro clássico contra o Real Madrid, neste fim de semana, foram algo inédito para um atleta brasileiro. Dos trinta jogadores nacionais que vestiram a camisa do Barcelona na história, somente o ex-santista balançou as redes em sua estreia no El Clássico. Entre que não conseguiram, estão grandes craques como Fausto, Evaristo de Macedo, Romário, Ronaldinho Gaúcho, Rivaldo e Ronaldo.

Além disto, o jovem de 21 anos também fez algo tão o mais difícil que estabelecer esta marca história: ‘ofuscou’ Lionel Messi. Desde o minuto inicial, Neymar chamou a responsabilidade para si e mostrou muita personalidade ao liderar as principais investidas ofensivas do Barça na partida. O argentino, por outro lado, não teve grande atuação e chegou a perder boas chances de gol.

Para Gerardo Martino, porém, o camisa 10 não rendeu abaixo do esperado. Vale lembrar que, com a entrada de Cesc Fabregas no time titular, o melhor jogador do mundo foi deslocado do meio para a ponta direita, posição pela qual não vinha jogando nas últimas partidas.

“O Messi esteve de acordo com o rendimento da equipe. Tirando a linha defensiva e o partidaço de Valdés, valorizo os outros pelo nível coletivo. Messi já jogou nesta posição de hoje em outras ocasiões. Ele trabalhou muito”, decretou.